QUEM SOMOS

Associação de Apoio à Políticas de Melhoria da Qualidade de Vida, Convivência com a Seca, Meio Ambiente e Verticalização da Produção Familiar – ARRIBAÇÃ

A Associação de Apoio à Políticas de Melhoria da Qualidade de Vida, Convivência com a Seca, Meio Ambiente e Verticalização da Produção Familiar – ARRIBAÇÃ, é uma entidade privada sem fins lucrativos, com sede na cidade de Remígio. A Arribaçã é uma associação que surgiu do desejo de se criar uma entidade com a possibilidade de desenvolver trabalhos que contribuíssem com a melhoria da qualidade de vida do homem e da mulher do campo, desencadeado através de processos educacionais voltados à agricultura familiar, à convivência com a seca e com uma área de atuação que abrangesse o nordeste brasileiro. O nome Arribaçã foi escolhido pela importância que tem a ave no nordeste brasileiro, como também pelo fato desta ave ser típica do nordeste brasileiro e ter sido bastante agredida e caçada, ocasionando em sua escassez atualmente na região.

A fundação foi realizada em 14 abril de 2003 com o registro do Estatuto Social, sendo constituída legalmente em fevereiro de 2004 com a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ. Tem como missão contribuir com o desenvolvimento sustentável respeitando os princípios da agroecologia, através de políticas educacionais para melhorar a qualidade de vida da agricultura familiar no Nordeste brasileiro.

Sua área de atuação abrange o Nordeste brasileiro e atualmente desenvolve suas ações principalmente nos Territórios Rurais do Estado da Paraíba, em especial os territórios da Borborema, do Curimataú, do Cariri Ocidental e Cariri Oriental. Tem como principais ações: Formação de Educadores e Educadoras Rurais, Assessoramento da produção de Algodão Agroecológico, Manejo Sustentável da Caatinga, Apoio à comercialização dos produtos da Agricultura Familiar, Apoio a Dinamização Econômica no Estado da Paraíba, Apoio a Política de Desenvolvimento Territorial e Apoio a Educação do e no Campo, entre outras.




Histórico da Produção de Algodão Agroecológico em Remígio – PB.

    A produção agroecológica em Remígio, já é marca registrada, conhecida mundialmente com sua produção, principalmente na cultura de algodão colorido. Partindo da inserção da cultura do algodão na diversidade da produção agrícola de base familiar como mais uma das cultuas que tem uma privilegiada importância econômica, visto que ela não é utilizada para o consumo e sim para a venda. Como os agricultores dizem “é cultura que se compra camisa, gera dinheiro”, por isso o algodão é também chamado de “ouro branco”. No ano de 2005, a partir das experiências dos agricultores familiares do Assentamento Queimadas – Remígio-PB, a Embrapa Algodão e ARRIBAÇÃ iniciaram um projeto chamado de “Escola Participativa do Algodão”, cujo principal objetivo é de validar o conhecimento dos agricultores familiares que trabalham efetivamente na produção agrícola; através da pesquisa participativa, onde os conhecimentos dos agricultores são utilizados através de instrumentos de pesquisa em grupo, os próprios agricultores testam suas práticas, trocando experiências, proporcionando o surgimento de um novo conhecimento adaptado para cada realidade e autonomia dos agricultores em relação ao cultivo do algodão.

A partir desse grande desafio de produzir algodão orgânico, que seria em pouco tempo, o primeiro algodão certificado do Estado da Paraíba. Para tal fim, foram feitas diversas discussões junto aos agricultores e os parceiros envolvidos: Agricultores Familiares, Embrapa, Arribaçã, Emater (Entidade oficial de assistência do assentamento Queimadas), discutindo estratégias de acompanhamento técnico das áreas, certificação, “convivência” com as pragas, beneficiamento, colheita, produção de sementes e transição agroecológica.

Neste sentido, foi constituída uma equipe técnica destinada a acompanhar e monitorar as ações do “Projeto Escola Participativa do Algodão”. Foram construídas coletivamente algumas estratégias para o acompanhamento técnico junto aos agricultores. A equipe passou a adotar como ferramenta de trabalho, o diálogo com os agricultores de forma que o conhecimento seja repassado entre agricultores e técnicos e de técnicos para agricultores, com oficinas de confecção de produtos naturais – produção de biofertilizantes e defensivos naturais - a socialização de experiências na produção entre os próprios agricultores como forma de apropriação do conhecimento, organização de mutirões solidários, onde partes dos agricultores se organizavam para o plantio de todo o roçado, preparando a terra com o auxílio da tração animal.

Atualmente a produção no município de Remígio se concentra no Assentamento Queimadas através das ações da Rede Borborema de Agroecologia. A RBA atualmente organiza e certifica a produção de algodão orgânico juntamente com suas parcerias e ao final do beneficiamento comercializa a produção por um preço justo, gerando renda e qualidade de vida para as famílias agricultoras do município de Remígio - PB.




Algodão Agroecológico no Cariri Paraibano

    A Arribaçã voltou a acompanhar as atividades agroecológicas na região do Cariri Ocidental Paraibano no ano de 2018. Nesse ano foi convidada para executar ações do Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos em parceria com a Diaconia. Nesse contexto, realiza assessoria técnica para a Associação de Certificação Participativa dos Produtores Agroecológicos do Cariri Paraibano – ACEPAC. Atualmente são 180 famílias assessoradas na realização do plantio do algodão agroecológico em consórcios.

No Cariri a Arribaçã assessora em paralelo com a produção de algodão agroecológico, o processo de certificação participativa e a organização administrativa da ACEPAC. A aprovação da ACEPAC como Sistema Participativo de Garantia -SPG se deu no ano de 2019 e desde então muitas conquistas são contabilizadas pelos agricultores e agricultoras. A Arribaçã é fundamental messe processo de construção coletiva e tem muito orgulho de estar levando a melhoria da qualidade de vida para as famílias do Cariri.